quinta-feira, 30 de junho de 2011

Secretaria de Cultura convoca músicos para reunião segunda-feira

A Secretaria de Cultura de Teresópolis está convocando todos os músicos do município para uma reunião, a ser realizada nesta segunda-feira, dia 4 de julho, às 19h, no Centro Cultural Bernardo Monteverde (Avenida Oliveira Botelho, 210 – sobreloja – Alto. O encontro tem como objetivo discutir ações de incremento para o mercado de trabalho do setor da música na cidade.
Futuramente, serão realizadas reuniões com os demais segmentos artísticos do município.

terça-feira, 7 de junho de 2011

CULTURA NOS BAIRROS - SALACO! [2]






As crianças da Escola Estado de Israel também não perderam tempo e fizeram questão de participar. Juntas, as amigas Julia Ramos, Vitória Guzzo, Paola Rosa e Paola Pereira cantaram ‘Meteoro’, de Luan Santana. “Nossa. Está muito legal hoje aqui. Cantar, dançar... Muito bom”, comentou Julia. Outro representante da comunidade a participar foi o Grupo Ágape, da Igreja Brasil para Cristo, que encantou a plateia. Formado pelas adolescentes Maiara Carreiro, Jéssica Carreiro, Jéssica Santos, Adriele de Oliveira, Amanda de Oliveira e Talita Paim, o grupo coreografou as músicas ‘Dá vontade de pular’ e ‘Deus é bom’.
A tarde de atividades teve ainda a apresentação do espetáculo de teatro ‘João Fazendo’. Encenado pelos agentes culturais Thomaz Garcia, Maura Ferreira, Gisele Rosini, Cintia Luando e Karine Biassi, o esquete de teatro de rua, que aborda a consciência para a ecologia e a preservação do meio ambiente, agradou em cheio. Com narração de Ayrton Rebello, coordenador do projeto, a apresentação contou com a participação efetiva das crianças do bairro, que interagiram e interpretaram personagens da história. E encerrando as atividades, um show de malabares com os artistas Ivo Bernardo e Alexandre Zigoto, que abusaram das acrobacias com bolas, bastões e outros objetos.
Diretora da Escola Municipal Estado de Israel, Maria do Rosário Fernandes Barbosa, ficou satisfeita. “Sem dúvida, é um projeto maravilhoso. Aqui no Salaco, existe uma grande dificuldade de acesso a tudo. Então, um dia como este faz toda a diferença. O projeto trouxe encantamento à comunidade, através da dança e do teatro. Isto sem falar no trabalho de resgate da cultura, com as músicas e as brincadeiras, e de integração com o bairro, fortalecendo a parceria comunidade-escola. Só temos a agradecer à Secretaria de Cultura pela iniciativa”, elogiou.
O Cultura nos Bairros é desenvolvido pela Prefeitura de Teresópolis, através da Secretaria de Cultura, em parceria com a Secretaria de Educação, e conta com o patrocínio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Cultural dos Municípios do Estado do Rio de Janeiro (Padec). Lançado em 2009, o projeto tem como objetivo levar atrações artísticas e culturais às comunidades, em praça pública, principalmente nos bairros mais afastados do centro, sempre nas tardes de domingo. Mais de 30 comunidades já foram visitadas ao longo de dois anos pelo projeto, que tem coordenação do professor Ayrton Rebello, diretor da Casa de Cultura Adolpho Bloch.

CULTURA NOS BAIRROS - SALACO! [1]







A tarde foi de festa neste domingo, dia 29 de maio, para a comunidade do Salaco, que recebeu a visita do projeto Cultura nos Bairros, desenvolvido pela Prefeitura de Teresópolis, através da Secretaria de Cultura. Crianças e adultos se divertiram com as inúmeras atividades, que incluíram música, dança, teatro e animação cultural.
“É motivo de grande orgulho para todos nós da Secretaria de Cultura ver o sucesso do Cultura nos Bairros. O projeto segue de forma exitosa, levando arte e entretenimento por onde passa, possibilitando que as comunidades vivenciem uma tarde diferente, com muita alegria e cultura”, comemora o secretário de Cultura, Ronaldo Fialho.
Realizadas na Escola Municipal Estado de Israel, as atividades começaram com a alegria contagiante dos agentes culturais e integrantes do curso de teatro de rua da Secretaria de Cultura. Com fantasias e acessórios, o grupo interagiu com a comunidade, brincou e dançou com a garotada, alegrando a todos.
Logo depois, a cantora e repentista Wanda Pinheiro abriu a programação musical, com ‘Beijinho Doce’ e ‘Estúpido Cupido’. As professoras Andréa Sant’Anna e Patrícia Araújo prosseguiram com o clima animado e agradaram com a congada ‘Rosário Embolado’, além de músicas tradicionais do universo infantil, que fizeram a criançada formar uma grande roda. A festa teve ainda a participação do cantor Paulo Medeiros, com sucessos da MPB, como ‘Malandragem’.

SEMINÁRIO DA ASSOCIAÇÃO MUSICA INDEPENDENTE [2]







Com duração de dois dias, o seminário contou com seis palestras, ministradas por autoridades do ramo e executivos de grandes indústrias do mercado fonográfico. Na sexta, dia 27, estiveram em pauta os temas ‘Sociedades Autorais e o funcionamento do ECAD’, ‘Empreendedor individual’ e ‘Direitos Autorais’. Já no sábado, 28, foram abordados os assuntos ‘Modelos de distribuição física e digital’, ‘Distribuição de música pelo celular’ e ‘Sindicatos dos Músicos’. Ao fim de cada apresentação, foram realizados bate-papos entre palestrantes e público, onde os participantes puderam esclarecer as mais diversas dúvidas. Paralelamente, foi realizada também a Assembléia Geral da ABMI, junto à reunião anual ordinária da entidade, para discussão de assuntos internos.
Quem participou do seminário, ficou satisfeito. “O Seminário de Música da ABMI foi muito interessante e com informações super importantes para os músicos e produtores independentes. Tivemos a oportunidade de nos informarmos melhor sobre questões como o ECAD e também sobre o empreendedor individual. Pena um número tão pequeno de músicos locais neste seminário tão esclarecedor. Foi uma ótima oportunidade, que só tenho a agradecer. Parabéns aos organizadores”, comentou a cantora e compositora Patrícia Araújo. “Neste seminário, a classe musical teve um contato mais próximo com uma série de perspectivas do trabalho musical. Foram tratados temas importantes demais, como o caso do direito autoral e das novas tecnologias, que fazem o artista se dar conta de que ele pode estar inserido no mercado musical sim. Para mim, o evento possibilitou ao teresopolitano um mar de esclarecimentos. Brilhante”, analisou Alexandre Negreiros, diretor do Sinticado dos Músicos do Estado do Rio de Janeiro.
Para a presidente da ABMI, Luciana Pegorer, Teresópolis tem grande potencial para a realização de eventos. “Teresópolis dispõe de bons aparelhos culturais e agentes locais com grande interesse em proporcionar o desenvolvimento cultural da cidade. O apoio da Secretaria de Cultura e da ACIAT foram fundamentais para a realização do seminário e garantiram uma excelente divulgação e o envolvimento tanto de músicos quanto de empresários locais”, comentou. “Fomos muito bem recebidos. A simpatia e o empenho de todos foram fatores animadores e nos deixaram o desejo de proporcionar mais momentos como esse”, completou Luciana Pegorer.

SEMINÁRIO DA ASSOCIAÇÃO MUSICA INDEPENDENTE [1]






No último fim de semana, dias 27 e 28 de maio, Teresópolis sediou a assembléia geral e o seminário de capacitação da Associação Brasileira da Música Independente (ABMI). O evento, que teve apoio da Prefeitura de Teresópolis, através da Secretaria de Cultura, reuniu na cidade músicos, produtores, representantes de empresas ligadas ao ramo da música no Brasil e, ao mesmo tempo, ofereceu um seminário de capacitação destinado ao artista local, realizado no Centro Cultural FESO Pro Arte e na Casa de Cultura Adolpho Bloch, com entrada franca.
“Além de receber empresários do ramo musical, movimentando a economia da cidade, foi a primeira vez que realizamos, aqui em Teresópolis, um seminário para informar e capacitar o produtor, autor e músico local. Um evento de grande importância, que possibilitou aos nossos artistas o acesso a informações importantes sobre os mais modernos meios de divulgação e distribuição de música. Mais um passo importante no processo de transformação cultural de Teresópolis”, comemora o secretário de Cultura, Ronaldo Fialho.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

TRUPE DA CULTURA CORREGO SUJO E AGUA QUENTE!







Dando prosseguimento ao trabalho de visita a escolas e instituições do município, a ‘Trupe da Cultura’ esteve em mais três escolas, na cidade e no interior, nas últimas três semanas. Foram visitadas as comunidades de Córrego Sujo, Caleme e Água Quente, deixando a garotada encantada com as músicas e dramatizações. A ‘Trupe da Cultura’ foi criada pela Secretaria de Cultura em razão da tragédia ocorrida em Teresópolis no dia 12 de janeiro para levar arte e entretenimento às vítimas do temporal, e, desde então, já visitou dezenas de comunidades,
“Desde o primeiro momento após a tragédia, direcionamos todos os nossos esforços para auxiliar às vítimas. Traçamos um diagnóstico inicial dos abrigos e, em seguida, montamos uma brigada, com a participação de artistas e professores da Secretaria de Cultura, que, na forma de teatro, música, dança e outras artes, levaram um pouco de alegria a estes locais. Contudo, mesmo com a redução do número de abrigados, o trabalho de entretenimento prosseguiu e vem obtendo grande êxito por onde quer que passe, o que nos levou a transformar a brigada em uma trupe permanente, com atuações semanais”, explica o secretário de Cultura, Ronaldo Fialho.
Recentemente, mais três locais foram visitados. No dia 3 de maio, a trupe esteve na Escola Municipal Manoel Narciso do Canto, em Córrego Sujo, realizando apresentações para os alunos dos dois turnos. Na terça-feira seguinte, dia 10, foi a vez da Escola Municipal José Gonçalves da Silva, no Caleme. E esta semana, na terça, dia 17, foi visitada a Escola Alfredo Inácio Jorge, em Água Quente, no segundo distrito.
No local, a trupe, formada pelas professoras Mônica Botafogo, Andréa Sant’Anna, Jeanette Albuquerque e Patrícia Araújo, realizou diversas atividades. Com fantasias e acessórios, as artistas realizaram brincadeiras, cantaram músicas tradicionais do universo infantil, contaram a história de ‘Chapeuzinho Amarelo’, de Chico Buarque, e ainda encenaram a história dramatizada ‘A tartaruga e a fruta’, sempre contando com a efetiva participação das crianças, que interpretam personagens da história.